Monthly Archives:maio 2020

 

            Com o isolamento social, algumas pessoas estão se cuidando mais, tirando um tempinho para cuidar da pele, do cabelo, do corpo, fazendo tratamentos em casa e outras, nem tanto.  A saúde capilar tem sido afetada neste período de pandemia, o estresse aumentou e a ansiedade também. Uma das dúvidas que surgem é em relação aos cabelos, se lavá-los com menor frequência provoca a queda dos fios. Para a terapeuta capilar naturalista, Paula Breder, o estresse e outros tipos de doenças no couro cabeludo podem causar o problema da queda, porém a limpeza também é fundamental para a saúde dos cabelos.

“O ideal é lavar os cabelos ao menos três vezes por semana. Quem tem cabelo oleoso pode lavar todos os dias lavar todos os dias com ativos seboreguladores”, explica Paula. “Vale ficar atento aos produtos voltados para cada tipo de cabelo e saber lavar bem o cabelo para limpar os fios”, pontua. “O correto é massagear o couro cabeludo sem usar força. Em tempos de pandemia a limpeza dos fios é fundamental, até por conta de segurança, além de evitar a queda dos cabelos”, completa Paula.

Para a dermatologista Irene Baldi, a higienização do couro cabeludo com o xampu adequado possibilita remover pequenas escamas, reduz a oleosidade e isso faz com que haja menor ação de fungos e bactérias. “Quando o cabelo está sujo, o poro fica mais obstruído e isso chega até a comprometer um pouco o crescimento dos fios e induz a queda”, afirma Irene.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a higiene capilar não possui uma regra, depende do tipo de cabelo do paciente e da região em que ele mora, mas vale a limpeza, lógico. “Depende do tipo de cabelo – seco ou oleoso – do clima, idade, se mulheres estão na fase da menopausa, diversos fatores que podem influenciar na saúde dos fios”, explica a dermatologista Karina Mazzini. Sendo assim, nestes tempos de isolamento social, se a situação se agravar e ocorrer um aumento na queda de cabelos ou outros sintomas que podem ser classificados como doenças capilares, o correto é procurar um dermatologista.De acordo com a dermatologista  além dos cuidados diários com os cabelos, existem medicamentos que podem auxiliar em um tratamento mais eficaz. “Para quem tem alopecia androgenética (calvície genética); alopecia areata (inflamação que provoca a queda em determinadas regiões); dermatite seborreica (que pode aparecer no couro cabeludo), entre outras, é indicado medicamentos por via oral, como o Minoxidil, Espironolactona, Alfaestrdiol, entre outros”, indica a dermatologista.

Para quem adora dicas de cuidados em casa, a cabeleireira Gabi Malini sugere algumas tratamentos caseiros  fáceis de fazer e manter a saúde dos cabelos. Uma das dicas é usar vinagre de maçã. Ele ajuda a fechar as cutículas, remove a oleosidade da raiz, elimina fungos e dá brilho e maciez. “Dica de uso, após o shampoo, tira o excesso de água e aplica nos cabelos, deixa agir por cinco minutos e finaliza com condicionador ou máscara de tratamento”, explica. Outra dica é o óleo de coco, sendo um excelente tratamento para cabelos sem elasticidade, ressecados e com frizz. “Faz uma umectação, aplicando nos cabelos secos, deixar agir por no mínimo quatro horas, depois lava e antes do shampoo, passa um condicionador para ajudar a selar as cutículas e ajudar a remover a oleosidade. Enxagua e lava com shampoo normalmente”, afirma Gabi. Além dos cuidados externos, é importante uma alimentação saudável para fortalecimento dos fios.

0 Comments
Share
vikings-festival-feeling-alive-diversao-on-line-com-rockn-roll-e-cerveja

Já que, por enquanto, não estão permitidas aglomerações, nada mais justo do que produzir um evento com a mesma qualidade presencial, porém via internet, para entreter os apaixonados por Rock’n Roll e cerveja, não é mesmo? Esse é o objetivo do Vikings Festival Feeling Alive, que acontece no dia 06 de junho, sábado, com estúdio montado do Steffen Centro de Eventos e transmissão através do YouTube e Facebook do festival.

Digão, da banda Raimundos, é umas das atrações confirmadas para o Vikings Festival Feeling Alive. O líder do conjunto musical brasiliense vai se apresentar para os capixabas via internet e promete um setlist daqueles de arrastar o sofá da sala para curtir. As bandas locais já confirmadas são Duets – com o melhor do rock e blues – e a consagrada Rastaclone.

O evento também abre espaço para novos talentos através da “Rock off Battle”, uma batalha de bandas e artistas pré-selecionados. A votação acontece ao vivo.

A escolha do Steffen Centro de Eventos, na Serra, foi justamente para atender às recomendações da Organização Mundial da Saúde sobre o distanciamento social. O espaço amplo e arejado garante a não aglomeração das pessoas envolvidas no projeto e consequentemente a segurança de todas elas. Além disso, serão adotadas todas as medidas de higienização necessárias.

Além de fortalecer a tradição desses eventos no Estado, a ideia dos

Digão, líder da banda Raimundos, é uma das atrações do festival

organizadores é contribuir também com os artistas, destinando 20% de toda doação recebida, patrocínios e vendas no site para eles, e o restante para instituições que apoiam causas sociais.

Por falar em doações, a cada R$ 25 doado, o doador será presenteado com um copo personalizado do festival.

Vai uma cerveja aí?

No site do festival, haverá o Beer Map, um mapa com várias cervejarias artesanais do Brasil que estão entregando delivery para que o espectador escolha a mais próxima de sua casa, peça a sua ‘gelada’ e assista o melhor do rock no conforto de seu lar. As cervejarias capixabas já confirmadas são: Fratelli Reggiani, Mestra, Hood, Bigos, Trarko e Rota Beer.

Drive-thru solidário

A solidariedade do evento começa com a realização do Drive-thru Solidário, também no dia 06 de junho, a partir das 10h, na Praia de Itaparica. A cada 5kg de alimentos doados, o doador leva pra casa 1 litro de chope artesanal para curtir o festival on-line. As arrecadações serão encaminhadas para os projetos Diversidade Social, Projeto Salermo e Casa dos Idosos de Vitória.

Serviço

Vikings Festival Feeling Alive – festival on-line que vai reunir bandas de rock e cervejarias (através do serviço delivery)

Quando: 06 de junho (sábado), a partir das 15h30

Canais de Transmissão: YouTube e Facebook Vikings Festival

Gratuito.

0 Comments
Share
31-de-maio-dia-mundial-sem-tabaco

          A campanha da Organização Mundial da Saúde (OMS) deste ano de 2020 em relação ao ‘Dia Mundial sem Tabaco’ (domingo, 31/05) tem o foco de proteger os jovens da manipulação da indústria e impedi-los do uso do tabaco e nicotina. “Porém em tempos de pandemia da Covid-19, o assunto ficou mais em alerta por conta dos riscos dos fumantes em contrair a doença, pois como o Coronavírus afeta os pulmões, a recuperação de um tabagista em relação à doença é muito mais grave”, explica a pneumologista Jéssica Polese.

            Em 2020, a campanha global tem como objetivo alertar os jovens sobre táticas de manipulação da indústria, além dos agravantes do tabagismo frente ao novo Coronavírus. “A indústria do tabagismo sempre encontra formas de continuar vendendo seu produto, mesmo com tantas campanhas conscientizadoras e em relação aos jovens diversos atrativos são criados para o consumo do cigarro, como uso de sabores atraentes, design práticos, promoções e patrocínios, etc.”, conta Jéssica.

            “Em relação à pandemia é importante ressaltar que os fumantes estão fumando mais por conta do estresse, e quem tinha ‘largado’ o cigarro por conta da pressão psicológica, da mudança de rotina voltaram a fumar, principalmente quem mora sozinho”,ressalta a pneumologista.

            “É preciso lembrar que além do perigo que estamos vivendo por conta do Coronavírus, que o tabaco é responsável por diversas doenças crônicas, respiratórias, além do Câncer do Pulmão. Agora, mais do que nunca o ideal é deixarmos de lado o cigarro”, completa.

            De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), todas essas doenças crônicas aumentam o risco de desenvolver complicações da infecção pela Covid-19. Além disso, sobrepeso, obesidade e ganho de peso na fase adulta são fatores de risco para 13 tipos de câncer. Já o tabagismo é a principal causa de mortes evitáveis em todo o mundo.

Dia Mundial Sem Tabaco

O Dia Mundial Sem Tabaco, adotado desde 1988 pelos estados-membros da Organização Mundial da Saúde, visa aumentar a conscientização sobre o grave problema de saúde pública que a epidemia do tabaco representa e a necessidade urgente de implementar e fortalecer medidas de controle do tabagismo.

 

0 Comments
Share
mais-solidariedade-em-tempos-de-pandemia

Além de todas as ações de solidariedade realizadas pelas escolas de samba da Grande Vitória, a organização do Carnaval de Vitória 2020 também realizou uma doação para a Associação Cultural Esportiva e Lazer de Nova Rosa da Penha (ACEL NRP), em Cariacica, que resultou em confecção de milhares de máscaras. “Mais de 1000 abadás do Camarote 10 foram doados para a confecção de máscaras e ainda 600 copos que foram distribuídos em outras entidades que desenvolvem trabalhos sociais,” afirma o empresário Raimundo Nonato.

            O responsável pela ACEL NRP, Roniel Monico Ramos da Silva informou que “já começaram a fazer doações das máscaras e copos e ainda vão realizar uma campanha no bairro para arrecadar alimentos mediante a aquisição das máscaras”.

(27) 99625-8909  – Roniel 

0 Comments
Share
avc-tambem-e-preocupacao-durante-pandemia

Fábio Fieni, neurologista do São Bernardo Apart Hospital, orienta sobre cuidados para evitar as complicações desta que é umas maiorias causas de morte no mundo

O acidente  vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, é uma das principais causas de morte no Brasil: anualmente, mais de 100 mil pessoas morrem no pais devido ao AVC. O neurologista Fábio Fieni, diretor médico do São Bernardo Apart Hospital (SBAH), explica que a doença é uma preocupação mundial e está ligada à diversos fatores de risco.

“A melhor forma de prevenção é controlando os fatores de risco vasculares que são a hipertensão, diabetes. Também é importante cessar o tabagismo, manter uma alimentação adequada, atividade física regular e também fazer um controle do estresse”, orienta.

Os sintomas de um acidente vascular cerebral envolvem dor de cabeça súbita e intensa, fraqueza ou dormência de um lado do corpo; dificuldade súbita para falar ou para entender; perda súbita da visão; alteração do equilíbrio ou dificuldade para andar. Sinais que não devem ser ignorados haja vista que a falta de tratamento adequado podem gerar sequelas graves como dificuldade para andar e falar, perda cognitiva e até a morte. Vale destacar que, seguindo as orientações das autoridades sanitárias, os atendimentos de urgência e emergência seguem em andamento visando garantir o tratamento adequado e em tempo hábil.

Com a pandemia da COVID-19, os cuidados com a prevenção devem ser reforçados. Segundo publicação do jornal científico New England Journal Of Medicine, médicos dos Estados Unidos associaram a ocorrência de AVC em pacientes jovens contaminados pela COVID-19. Fieni explica que esta tendência foi estudada e o protocolo de avaliação de pacientes com AVC e COVID-19 está sendo implementado no SBAH.

São Bernardo Apart Hospital em Colatina.Excelência em Colatina
O SBAH é o único hospital no noroeste do Estado a conquistar a Certificação Internacional Angel que reconhece o atendimento qualificado em centros de AVC. “Essa iniciativa começou na Alemanha e reconhece hospitais em todo o mundo. Eles avaliaram nossa estrutura e organização, auxiliaram no treinamento de todas as equipes. Nossa capacidade foi validada e nos reconheceram como centro de excelência”, contou o médico.

0 Comments
Share
casa-com-alma-deixando-o-lar-mais-confortavel-para-a-quarentena

Confira algumas dicas e aprenda a fazer da sua casa um lugar mais aconchegante e confortável para seguir o isolamento social com qualidade de vida

A nossa casa pode ser como um santuário e podemos amá-la, de coração. Entretanto, durante o isolamento social, manter-se nela por obrigação pode deixar muitas pessoas angustiadas e ansiosas, despertando a vontade de sair e, consequentemente, aumentando as chances de contato com o Coronavírus. Mas você sabia que o nosso lar também tem um papel fundamental para controlar isso e passar por essa fase com mais leveza? A verdade é que essa nova realidade estimula os indivíduos a terem mais cuidado com a própria casa.

De acordo com a arquiteta, Aparecida Borges, uma casa confortável pode ter uma definição diferente para cada indivíduo e circunstância, mas, que existem coisas que são lugar comum. “Eu começo pelas janelas, deixe a luz do sol entrar, a brisa correr, ou seja, abra as cortinas, use-as a seu favor e dê saúde à sua casa com este recurso. Digo isto para todos os ambientes, da sala ao banheiro ou um simples depósito”, explica.

O conforto está intimamente ligado às sensações e estas aos nossos sentidos, por isso, outra dica da profissional é usar os aromas como aliados invisíveis. “Coloque difusores pela casa, use um para dormir e ainda escolha óleos essenciais com propriedades de relaxamento. As plantas fazem a diferença e trazem charme, ainda podem te fazer companhia se você não tem um pet, nunca soube de alguém que conversasse com as plantinhas?”, brinca.

Ainda de acordo com Aparecida, separar todos os seus adornos decorativos, colocá-los juntos sobre uma mesa e redistribuí-los pela casa em lugares diferentes, fará com que eles ganhem um novo brilho. “Vai parecer uma casa nova, inclusive seus quadros ao serem mudados de lugar podem trazem outra perspectiva ao seu lar. Aproveite e curta sua casa. Lembre-se que ela é seu refúgio, palco das suas mais íntimas sensações, lugar de conforto até para a alma”, conclui a arquiteta.

Mais conforto e menos estresse

Para a empresária do meio décor, Di Fassarella, à frente da Conceito Sier, em Santa Lúcia, móveis confortáveis têm a função de diminuir o estresse e manter as pessoas mais descansadas por um longo período.  “O ideal é que além de expressarem quem você é, os móveis estimulem a sua motivação para realizar tarefas diárias. Por isso, poltronas como a Toscana, fazem a diferença na decoração do lar, e são ótimas opções para auxiliar no home office. Com estrutura feita em madeira maciça, assento e encosto estofados fixos, com espuma D30, acabamento em madeira castanho e tecido em linho, a peça possui sofisticação, imponência e conforto como características”, explica Di.

Quando se fala em apartamentos mais compactos, de acordo com a empresária, o ideal é apostar em móveis que, além de serem itens de decoração, são funcionais e versáteis. “Um exemplo disso é uma peça como o Bar Bourbon, que com menos de um metro de comprimento, possui um design super atual e muito charme. O bar confere uma atmosfera de happy hour a qualquer ambiente da casa, desde a sala de estar ou jantar até a cozinha, podendo servir também como aparador ou suporte para adornos do décor como flores e porta-retratos. Faz parte de sua composição o aço inox escovado, um material nobre de alta resistência e sustentabilidade, com as vantagens de ser prático, multifuncional e ter mobilidade, detalhes que fazem toda a diferença para uma decoração confortável, organizada e inteligente”, afirma.

Uma opção para gerar mais conforto na casa, criar novas experiências prazerosas e deixar os moradores mais à vontade durante os finais de semana, por exemplo, é transformar a sala de casa em um cinema improvisado. Para isso, a sugestão da empresária Carmem Dolores é investir em um sofá grande e confortável, capaz de reunir toda a família. Na Stampa, uma das opções é o modelo “Matriz”, assinado pelo designer Jader Almeida, possui longa extensão e profundidade.

Ter um canto reservado para o casal tomar um bom vinho e conversar, distante do espaço onde está sendo realizado o home office, também é fundamental. Para esse momento, Carmem indica as poltronas “Ninho”, do Studio Lattoog e “Benjamin” do designer Sérgio Rodrigues. “Essas peças são confortáveis e possuem design atemporal, bom investimento para excelentes vivências com a família, que é o que precisamos durante este período”, afirma.

O coração da casa

Há quem diga que o segredo de uma boa comida está no amor do cozinheiro, mas, aliado a isso, tem também o ingrediente secreto: a cozinha que os moradores têm à sua disposição. Criar o seu próprio Espaço Gourmet, com eletrodomésticos e eletroportáteis diferenciados, é uma boa pedida para alimentar a vontade de fazer receitas durante a quarentena. Por isso, a hora de preparar o próprio alimento pode se tornar uma atividade divertida em grupo. Busque receitas e experimente novos ingredientes.

De acordo com o empresário Paulo Gottardi, proprietário da Kouzina, nessa situação a cozinha se tornou, de fato, o coração da casa. “É o lugar onde todos se encontram. Cozinhar é uma demonstração de amor e é assim que as pessoas têm feito. Sem pode abraçar, a comida virou um acalento”, explicou. E se na hora de colocar a mão na massa, faltar algum utensílio, Paulo ressalta a funcionalidade dos itens da linha Spicy, que vão desde espremedor de alho a panelas.

As panelas profissionais da linha Staub, por exemplo, são usadas por restaurantes renomados na hora de servir a comida a mesa do cliente. O chef de cozinha francês Claude Troisgros, responsável pela apresentação de programas de gastronomia, também utiliza as panelas da respectiva marca. Elas podem ser levadas ao forno e possuem tecnologia na tampa para espalhar e uniformizar o vapor e o calor. Já a linha Oxo é composta por utilitários e potes herméticos desenvolvidos de forma especial a fim de facilitar o manuseio e dar mais autonomia para pessoas com problemas de acessibilidade, como a abertura e o fechamento com uma mão só.

Em tempos de isolamento social, como passamos mais tempo dentro de casa, é importante aproveitar para fazer aqueles pequenos reparos que sempre foram adiados e, concluir obras que já haviam iniciado. “Tem muitos recém-casados que estavam em processo de montagem da cozinha e de forma segura eles continuam vindo até a loja para escolher os equipamentos”, afirma Paulo.

Rotina e sono sem barulho

A redução de ruídos externos é hoje uma das principais preocupações de quem deseja garantir conforto e tranquilidade em sua própria casa, especialmente para quem tem recém-nascidos em casa. O barulho em excesso atrapalha o sono e aumenta o estresse cotidiano. A arquiteta e empresária Roberta Drummond, da Innovare Esquadrias, destaca que uma das formas de reduzir esse incômodo é apostar na janela acústica de sobreposição.

A construção em PVC, vidros especiais e sistema exclusivo de vedação garante redução capaz de deixar a maioria dos ruídos do lado de fora. “A barreira extra é habilitada para aumentar significativamente o nível de atenuação acústica e proteção térmica de uma janela normal. O design é também um diferencial, capaz de adaptar-se a qualquer tipo de decoração. Além de todos esses benefícios, ainda tem a vantagem da instalação rápida, segura, limpa e econômica, sem obras”, explica.

Segurança e qualidade de vida

A intenção é deixar cada ambiente da casa – especialmente nesse período de quarentena – com a sua cara e do seu gosto, juntando praticidade e conforto. E lembre-se de que é fundamental seguir a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), para prevenção da doença e para evitar que a pandemia se alastre ainda mais. Com toda certeza, essas mudanças vão tornar seu lar um lugar melhor para viver e acredite você não vai querer sair de casa, nem depois que isso tudo passar!

 

0 Comments
Share
carro-parado-na-quarentena-sem-dor-de-cabeca-na-volta

Evite ao máximo sair de casa. O pedido está sendo amplamente divulgado com a disseminação do novo coronavírus (covid-19). Mas, se as pessoas estão mais tempo em casa, os veículos também estão e, com isso, é preciso ficar atento com alguns cuidados específicos para conservar os carros e evitar prejuízos após a quarentena. 

Para isso, o supervisor de pós-venda da Prime Hyundai Vila Velha, Alex Ramos Gomes, separou algumas orientações para que os motoristas fiquem atentos, até mesmo aproveitando o tempo maior em casa e que possibilita uma maior dedicação ao assunto. “A primeira sugestão é fazer uma boa limpeza, tanto externa, como interna, e depois cobrir o veículo com uma capa, para protegê-lo do acúmulo de poeira, e, se ficar em ambientes externos, também do sol e da chuva”, indica. 

É recomendável também aumentar a calibragem dos pneus de uns 20 a 30%. Ou seja, se a pressão normal é de 30 libras, passe para 35 a 40. “Isso evita a deformação do pneu na região que fica em contato com o piso. O ideal mesmo seria deixar o carro suspenso, durante este período. Mas, pode ser uma saída para quem não tem o cavalete”, sugere. Alex Gomes ainda acrescenta que é interessante trocar o óleo do motor e o filtro, antes da próxima partida, e inspecionar os fluidos de freio e da direção hidráulica, se o carro ficar parado por mais de seis meses. 

“Uma solução melhor seria colocar um calço nos pneus, e deixar tudo solto e desengrenado para que os componentes dos freios não grudem. Desligar o pólo da bateria, manter os pneus bem calibrados e um combustível de boa qualidade no tanque também são orientações importantes. A sugestão seria escolher combustíveis aditivados, inclusive etanol, para amenizar os riscos de oxidação por água ou criação de borras. Além disso, deixar o tanque vazio pode acumular umidade, dependendo do local em que o carro está”, explica. 

Saidinhas 

Se for possível, tente em alguns momentos movimentar o carro, pelo menos alguns metros na garagem, para que os pneus não fiquem sempre em contato com o chão na mesma posição. Isso evita que, depois do segundo mês parado, o carro fique com os pneus murchos e “quadrados”, causando um desconforto na rodagem. 

“A dica seria, preferencialmente, rodar com o carro no quarteirão pelo menos uma vez por semana. Desse modo, nada irá emperrar ou engripar. Assim, o dono do veículo poderá seguir com os prazos de revisão normalmente. Outra opção, menos vantajosa, seria de funcionar o carro na garagem mesmo. Se o carro for carburado ou movido a etanol, essa frequência pode ser dobrada. É importante colocar tudo para funcionar nessas voltinhas. O ar-condicionado, por exemplo, pode perder seu gás e acumular bactérias, se ficar sem funcionar por um tempo”, orienta. 

Depois de todo o período, o especialista lembra que quando o carro for religado, o cabeçote estará sem “ver” óleo por um bom tempo. “Por isso, pode ser dada a partida por um instante breve, mas sem deixar que o motor ligue. Isso será o suficiente para a bomba de óleo jogar um pouco do material no componente, que por sua vez impedirá os danos ao motor, quando o carro der a partida efetivamente“, sugere. 

Socorro! 

Com esse tempo maior do veículo parado e os riscos de ocorrer algum problema, é importante que os motoristas mantenham também os seguros dos veículos em dia e atentos as recomendações dadas pela empresa contratada. De acordo com a Superintendente de benefícios da Ilha Azul, Karolynne Cavedoalgumas seguradoras dispõem de canal próprio e específico para atendimento de seus clientes, oferecendo conteúdos e informações relevantes sobre o mercado de automóveis, peças, dicas e orientações. 

 

“Este tipo de serviço segue sendo prestado normalmente. Por isso, em caso de necessidade, o segurado poderá acionar a assistência 24 horas de sua seguradora, solicitando apoio de um prestador para troca ou carga em bateria, guincho para remoção do veículo a uma oficina, chaveiro, troca de pneus, pane seca, e outras ações disponíveis”, diz. 

De acordo com a especialista, para atender a este momento de pandemia, a maioria das seguradoras adotou o modelo de self-vistoria para atender aos seus clientes, sem oferecer qualquer risco de transmissão da doença. “A ideia deste formato é que o próprio cliente faça a vistoria no seu carro, com a supervisão online dos profissionais, sem a necessidade do contato físico, evitando que o cliente precise se deslocar com o veículo. Ao contratar o seguro, a pessoa recebe da empresa um link, por mensagem no celular, e o trabalho é orientado a partir de fotos feitas e enviadas pelo próprio segurado”, comenta. 

Confira as principais dicas para conservar o carro durante a quarentena: 

– Fazer uma higienização completa e depois cobrir o veículo com uma capa. 

– Rodas para o ar ou aumentar a calibragem dos pneus de uns 20 a 30%. 

– Deixar o freio de mão solto, apoiando o carro um calço nos pneus. 

– Deixar o mínimo de combustível no tanque 

– Para modelos mais antigos, vale a pena desconectar os cabos da bateria. 

– Rodar com o carro no quarteirão pelo menos uma vez por semana e em alguns momentos movimentar o carro, pelo menos alguns metros na garagem. 

0 Comments
Share
setor-moveleiro-se-adapta-a-venda-pela-internet

Muitos comércios tem se adaptado as vendas online. Mas, um setor, em especial, sofre com algumas dificuldades para se ajustar a este novo formato devido ao comportamento do consumidor. No segmento de móveis, o empresário Joanir Smarçaroda Móveis Conquista, explica que os clientes tem uma característica específica, de preferir visualizar o produto de perto, tocando nas peças e conferindo todo o design do produto.    

“Não temos ainda uma estimativa exata do setor. Mas, no nosso caso, podemos perceber que houve um aumento nas compras pelo site da loja de cerca de 20%. Isso contraria a queda em torno de 75 a 80% das vendas físicas. Então, devido a esta característica do nosso público, mesmo com a nossa plataforma online bem preparada, optamos por fazer agendamentos para atendimentos na loja com dia e horário marcado, obedecendo todas as orientações para a saúde e segurança de todos: funcionários e clientes. Com isso, conseguimos elevar a porcentagem de venda para cerca de 30%, reunindo os dois formatos de atendimento”, destaca. 

Mesmo com um grande impacto no setor, o empresário segue otimista e confiante de que a situação deve se resolver e o comércio se recuperar. “Claro que estamos tendo prejuízos com a paralização das atividades. Mas, acreditamos muito numa recuperação rápida, quando houver a reabertura e, possível, normalização dos negócios, pois a nossa empresa trabalha muito com pé no chão, de forma sólidaNinguém está tão preparado assim, para algo que parou o país e o mundo, mas temos que voltar a investir. Estamos com a empresa sólida e um estoque pronto. Então, a gente deve sentir menos”, afirma. 

O momento também pede a união entre todos e a marca capixaba, com 39 anos de mercado, está confiante na recuperação do setor e, também, de que tudo isso irá passar. “Hoje, nós temos muito estoque pronto para atender as vendas e contamos também com uma equipe preparada. Estamos orgulhosos com todo empenho e dedicação dos nossos profissionais, que têm se empenhado para manter a produtividade, mesmo em meio as dificuldades deste período. Acho que ainda este ano voltamos a trabalhar normalmente”, acredita. 

Empregos 

Com cerca de 260 funcionários atualmente, o Grupo Conquista – que conta com quatro lojas nos estados do Espírito Santo e da Bahia, além de um Centro de Distribuição e uma fábrica da marca – não promoveu demissões neste período. “Na nossa empresa nós estamos praticamente zero de desemprego, mas no setor, em geral, já acredito aí em 20 à 25% de desemprego, que é muito grande”, diz.  

O formato adotado pelo empresário teve a adesão da equipe para tentar garantir a execução dos serviços para manter as vendas online. “Logo no início do fechamento do comércio, demos férias coletivas, tanto nas nossas lojas, quanto fábrica. Depois disso, a gente retomou o trabalho com a loja fechada e uma produção menor. Agora, a turma está mais envolvida na organização dos produtos e a equipe de loja voltada para o atendimento aos clientes no formato online e presencialmente com dia e horário agendados, conclui.  

0 Comments
Share
as-gestantes-e-os-seus-direitos-durante-a-pandemia

O momento é diferente e gera sentimentos diversos em muitas pessoas. Mas, além da tensão provocada pela disseminação do novo coronavírus (Covid-19), as gestantes ainda lidam com a expectativa da chegada do bebê e as incertezas desta situação, que estamos vivendo. Por isso, mais do que nunca, é importante que elas estejam atentas às adaptações sofridas na legislação brasileira para atender a estas pacientes com seus filhos. 

O Ministério da Saúde já incluiu gestantes e puérperas como grupo de risco para a COVID-19, assim como a Secretaria de Saúde do Estado do Espírito Santo. De acordo com a advogada Fernanda Ronchi – com atuação na área do Direito Médico e da Saúde – o órgão federal editou a Nota Técnica nº. 10/2020 COCAM/CGCIVI/DAPES/SAPS/MS na qual reforça o direito garantido pela Lei Federal nº 11.108, de 7 de abril de 2005 de acompanhante durante o parto. Neste caso, a pessoa precisa estar assintomática, com idade entre 18 e 59 anos e não tenha tido contato domiciliar com pessoas com síndrome gripal ou infecção respiratória comprovada por SARS-CoV-2. 

“Mesmo durante a pandemia, continua sendo garantido o direito de acompanhamento da gestante durante o trabalho de parto, no parto e no pós-parto imediato. A recomendação do Ministério da Saúde é que após o nascimento da criança, a acomodação seja privativa ou em local que permita o distanciamento entre os internados. Além disso, o direito da dignidade das gestantes e da humanização em todas as etapas que antecedem e sucedem o parto e também durante o procedimento em si devem ser resguardados, ainda que em tempos de pandemia”, orienta a especialista. 

As autoridades de saúde recomendam, neste período, que as instituições avaliem a suspensão de outras pessoas, que não sejam os pais, para entrar nas unidades de terapia intensiva neonatal (UTINs), mesmo que estejam assintomáticas. “Essa orientação visa evitar aglomerações nas unidades. Em caráter excepcional, para situações de óbito ou de internação prolongada da mãe na UTI, que impossibilite a permanência do pai e da mãe, a família poderá indicar alguém para que possa acompanhar o recém-nascido. Essa pessoa também deverá estar assintomática, com idade entre 18 e 59 anos e sem contato domiciliar de pessoa com síndrome gripal ou infecção respiratória comprovada por SARS-CoV-2”, informa. 

“Informações sobre os direitos das gestantes” 

A advogada Fernanda Ronchi explica que existem determinações na legislação brasileira, que asseguram práticas adequadas desde o período da realização do pré-natal, até após o nascimento da criança. “Uma dúvida muito constante é em relação a maternidade onde será feito o parto. Neste caso, pela Lei nº 11.634 de 2007, a gestante tem o direito de ser informada anteriormente, pela equipe do pré-natal, sobre qual a maternidade de referência para seu parto e até mesmo de visitar o serviço antes do parto”, explica.  

Segundo a Resolução Normativa n°368/2015, da Agência Nacional de Saúde (ANS), os planos de saúde são obrigados a informar os percentuais de cirurgias cesarianas e de partos normais no hospital e do médico. Além disso, também precisam disponibilizar o cartão da gestante com informações sobre o pré-natal e orientar médicos para a utilização do partograma, em que são registradas todas as etapas do trabalho de parto. 

Outra situação que também liga o sinal de alerta de muitas gestantes é sobre o atendimento no SUS, durante o trabalho de parto. “Nestes casos, a grávida deve ser atendida no primeiro serviço de saúde que procurar e, em caso de necessidade de transferência para outro local, o transporte deverá ser garantido de maneira segura”, orienta. Além disso, o acompanhante da paciente – escolhido pela gestante – poderá participar de todo o período de trabalho de parto, parto e pós-parto. Outro direito também é o atendimento especializado durante a gravidez, o que inclui exames, consultas e orientações gratuitas. 

Existem diversas regulamentações em favor da gestante e do recém-nascido. Toda mulher tem direito a uma gravidez saudável, a um parto seguro e a ser atendida com dignidade, sem qualquer tipo de discriminação. 

Que seja feita a vontade da mãe 

O plano de parto é um documento em que a gestante deixa registrado por escrito o que deseja em relação às etapas do trabalho de parto, aos procedimentos médicos antes do parto, durante o parto e aos cuidados com o recém-nascido no pós-parto. Ele, portanto, permite que a futura mãe opine sobre o que julga ser melhor para seu corpo e para seu bebê. 

Esse documento, garantido pela legislação brasileira, é feito em conjunto com o obstetra (ou pré-natalista nas Unidades Básicas de Saúde) e precisa ser assinado por ambos: médico e gestante. 

“Segundo diretrizes do Ministério da Saúde sobre pré-natal e parto, cabe a profissionais de saúde perguntar se a mulher tem um plano de parto escrito, ler e discutir com ela, levando-se em consideração as condições para a sua implementação, tais como a organização do local de assistência, limitações (físicas, recursos) relativas à unidade e a disponibilidade de certos métodos e técnicas. Elaborar este plano de parto não significa que ele irá ocorrer exatamente daquela maneira, já que, em caso de algum imprevisto, a saúde da mãe e do bebê estará em primeiro lugar”, comenta. 

Carência 

Para quem possui plano de saúde, eles podem exigir um tempo mínimo de adesão antes de garantir a cobertura para o atendimento. De acordo com a advogada Fernanda Ronchi a carência para parto é de 300 dias e é permitida por lei. “Se o plano da gestante ou do pai tiver cobertura para parto, o recém-nascido possui direito à cobertura pelo plano de saúde nos seus primeiros 30 dias de vida, podendo os pais inscrever o recém-nascido como dependente neste período. Além disso, os hospitais privados são obrigados a manter alojamento conjunto desde o nascimento, possibilitando que a criança permaneça junto à mãe, conforme disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente (artigo 10, V e na RDV 36 – 5.6.4 da ANVISA)”, reforça. 

 

0 Comments
Share
1236