Monthly Archives:novembro 2018

perda-auditiva-em-criancas

Estima-se que 32 milhões de crianças em todo o mundo são afetadas pela perda auditiva. Aproximadamente 5 a cada 1000 crianças nascem com perda auditiva, enquanto 60% é devida à causas evitáveis.

A perda auditiva em crianças é normalmente identificada durante exames auditivos de recém-nascidos, que são realizados entre 24 a 48 horas após o nascimento. Supõe-se que 1,1 bilhão de pessoas com idades entre 12 e 35 anos correm o risco de desenvolver uma perda auditiva devido à exposição ao ruído em ambientes recreativos, sendo 12,5%, dano permanente.

Perda auditiva e desenvolvimento

perda auditiva em criançasPesquisadores acreditam que a audição é essencial para o desenvolvimento da comunicação, da fala e do aprendizado. As crianças com perda de audição correm o risco de atrasos no desenvolvimento nas áreas de habilidades de comunicação receptiva e expressiva, e muitas vezes apresentam dificuldades de aprendizagem, redução de desempenho acadêmico e dificuldades de comunicação e socialização com sua família e colegas.

Intervenção imediata é necessária

A reabilitação da perda auditiva deve ser realizada imediatamente após a suspeita e/ou o diagnóstico. A exposição contínua à fala, linguagem e outros estímulos em seu ambiente é fundamental. Pesquisas mostram que a identificação e a intervenção precoce ajudam as crianças com perda de audição a desenvolverem a linguagem (falada e/ou escrita), e dessa forma, terão menos impacto nas etapas do desenvolvimento da criança.

Soluções auditivas

A identificação e intervenção precoce são fundamentais e permitem aos profissionais trabalharem com as famílias para educá-las sobre como apoiar as necessidades de comunicação e desenvolvimento da criança. O seu fonoaudiólogo irá avaliar a audição da criança e fazer a orientação para os próximos passos. Dependendo do tipo e grau da perda auditiva do seu filho, o tratamento pode incluir uma combinação de:

  •  Aparelhos auditivos – dispositivos eletrônicos usados na orelha que, entre outras funções, amplificam o som do ambiente e fala
  • Implantes cocleares – dispositivos implantados cirurgicamente que estimulam diretamente o nervo auditivo por meio de estimulação elétrica
  • Terapia de linguagem – instrução terapêutica projetada para melhorar o desenvolvimento e comunicação da linguagem
  • Dispositivos de audição assistiva – tecnologia que ajuda a transmitir sons diretamente aos aparelhos auditivos de uma criança e / ou implantes cocleares

Cada palavra importa

A audição é especialmente importante em crianças, pois estão desenvolvendo as habilidades que precisam para aprender e se comunicar. As crianças aprendem a falar ouvindo outras pessoas falarem. A comunicação constante com seu filho pode levar a melhores resultados.

Ajudando a criança a ter sucesso

Há muitas maneiras de ajudar a criança a ser bem sucedido, incluindo:

  • Participe ativamente e promova a comunicação com a criança. Estabeleça rotinas de falar e ler livros. Fale claramente e não a mais de 2 metros de distância.
  • Incentive a criança a usar seus aparelhos auditivos. Compreenda que eles podem não querer usá-los. Comemore pequenos sucessos até que os aparelhos auditivos sejam usados em tempo integral.
  • Esteja preparado para o inesperado. Carregar baterias extras e levar as informações de contato do fonoaudiólogo.
  • Reduza o ruído de fundo sempre que possível. Facilite a criança ouvir.
  • Considere usar tecnologia assistiva, como o ReSound Micro Mic ou um sistema de FM
perda auditivaQuer mais informações?
Entre em contato com:
(27) 3022-1777
Av. Dante Michelini, N 1377, Loja 06 Ed. Charmonix,
Jardim da Penha –  Vitória – ES
0 Comments
Share
passageiro-podera-nao-pagar-multa-se-perder-o-voo

Projeto da senadora Rose de Freitas isenta passageiros de multa de cancelamento de passagem aérea por motivo de força maior. O motivo de força maior está relacionado a fatos ou eventos imprevisíveis ou de difícil previsão, que não podem ser evitados e que escapam à vontade do passageiro. Como exemplo : problemas de saúde, acidentes, greves e fenômenos da natureza.

Outra mudança sugerida pelo projeto é a proibição do cancelamento do trecho de volta quando o passageiro não se apresentar no embarque para o trecho de ida (no – show).

Regulamentações oportunas de duas situações polêmicas que já vinham acontecendo na prática em muitas ações no judiciário, trazendo custos e insegurança jurídica para o fornecedor, que dizia uma coisa e para o consumidor que argumentava outra.

É o texto (PLS 444/2018) está em análise na Constituição, Justiça e Cidadania.

Fonte: Agência Senado.


Veja aqui mais artigos do Cliente Brasil


perder o vooHugo Gaspar

Advogado no escritório João Alexandre de Vasconcellos Advogados Associados, especialista em Relações de Consumo e Direito bancário.

Colaborador do site: clientebrasil.com.br

hugogaspar@javadvogados.com

0 Comments
Share
medicamentos-homeopaticos

Baseada na administração de doses reduzidas de fármacos, a homeopatia atua tanto na prevenção como na cura de várias doenças existentes. Criada em 1755 pelo médico alemão Samuel Hahnemann, a homeopatia é uma opção terapêutica que atualmente está presente em mais de 80 países e tem como foco a saúde integral e o equilíbrio do organismo do indivíduo, através de tratamentos com medicamentos homeopáticos.

Como qualquer outro medicamento ou planta, esse tipo de tratamento não pode ser feito de forma indiscriminada e exige a orientação adequada de um profissional da saúde especializado na área, alerta a farmacêutica da rede de Farmácias Alquimia, Raigna Vasconcelos.

Os medicamentos homeopáticos precisam ser utilizados de acordo com a orientação do profissional e seguindo todo o procedimento terapêutico estabelecido. Mesmo não tendo o nível de efeitos colaterais que os medicamentos alopáticos oferecem, mas tem que ser usado com responsabilidade como qualquer medicamento.

A homeopatia foi inserida como política oficial de saúde no Brasil em 2006, por meio da Portaria nº 971 do Ministério da Saúde, que trata sobre as práticas integrativas. Uma das grandes preocupações do Conselho Federal de Farmácia e da Associação dos Farmacêuticos Homeopatas é quanto à existência de cursos não regulamentados e de pessoas não capacitadas atuando no atendimento a pacientes e, inclusive, na manipulação de medicamentos em ambientes inadequados.

Medicamentos homeopáticos“Essa é uma preocupação grande do ponto de vista profissional, mas principalmente do ponto de vista do risco sanitário. Medicamentos homeopáticos têm que ser produzidos em estabelecimento de saúde cadastrado, licenciado pela autoridade sanitária, com todo o rito técnico, todo o conhecimento técnico e cuidados necessários para garantir a qualidade, a eficácia e a segurança desses produtos.” Esclareceu Raigna Vasconcelos, que lembrou ainda que casos de irregularidades devem ser comunicados à vigilância sanitária municipal ou ao Conselho Regional de Farmácia do estado.

 


Renata Salgueiro

Elo Comunicação

0 Comments
Share
atraso-no-entregue-das-obras

O número de lançamentos imobiliários aumentou consideravelmente nos últimos anos, principalmente nos grandes centros do país. Com o desaquecimento da economia, muitas construtoras estão com problemas para entregar o prometido imóvel e recorrem a novos investidores, que se associam ou compram o projeto original. Este fato faz com que haja atraso no entregue das obras e surgem novos problemas.

Quais são os limites para esta responsabilização? Quando a construtora responde pelo atraso no entregue das obras?

Já é pacífico nos Tribunais o dever das incorporadoras, à luz do Código Civil e do Código de Defesa do Consumidor, de indenizarem os consumidores por este inadimplemento.Caberá ao consumidor que for vítima de atraso de obra, a devida rescisão contratual com devolução dos valores pagos corrigidos pelo próprio índice previsto no contrato, além de lucros cessantes e danos morais dependo da natureza do atraso no entregue das obras.

Uma das principais justificativas alegadas pelas construtoras pelo atraso na entrega das obras é de que o atraso ocorreu pelo acontecimento de caso fortuito ou força maior. As justificativas mais comuns são as seguintes: chuvas, greves, falta de material, burocracia pública, etc.

Ou seja, alegam que a entrega da obra ocorrerá em data posterior à prevista, em razão de acontecimentos extraordinários, que fugiram de sua alçada e que em nada contribuíram ou puderam evitar. O entendimento é de que tais situações são inerentes a atividade de construção civil, que é o que chamamos de teoria do risco. Assim, mesmo diante dessas situações, a construtora deve suportar o ônus contratual por não ter entregado o imóvel dentro do prazo previsto.

Constatado o atraso na entrega das obras, são devidos lucros cessantes ao adquirente desde a data estipulada no contrato para entrega do imóvel até a sua efetivação, fixados em 0,5% a 1,0% (meio a um por cento) do valor atualizado do contrato, por mês de atraso.

O Código Civil Brasileiro no seu art. 927, parágrafo único, estabelece o dever de indenizar, independente de culpa ou dolo, aquele que vier causar dano à terceiro.

Essa teoria também se encontra presente no Código de Defesa do Consumidor,no seu art. 14 que diz que o fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos.

A relação jurídica nestes casos se enquadra nos conceitos de consumidor e fornecedor, previstos nos artigos 2º e 3º do Código de Defesa do Consumidor, que define que consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final, e que fornecedor é toda pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira, bem como os entes despersonalizados, que desenvolvem atividade de produção, montagem, criação, construção, transformação, importação, exportação, distribuição ou comercialização de produtos ou prestação de serviços.

Concluímos, que pelos parâmetros do Código de Defesa do Consumidor e Código Civil, a responsabilidade da construtora é objetiva, sem a necessidade da demonstração de culpa, devendo aquele que se sinta prejudicado buscar a justiça para garantir os seus direitos através de um profissional da área.


Veja aqui mais artigos do Cliente Brasil


atraso no entregue das obrasHugo Gaspar

Advogado no escritório João Alexandre de Vasconcellos Advogados Associados, especialista em Relações de Consumo e Direito bancário.

Colaborador do site: clientebrasil.com.br

hugogaspar@javadvogados.com

0 Comments
Share
home-care

Em seu voto, a relatora considerou que, no caso concreto, há expectativa legítima da recorrente em receber o tratamento médico através do Home Care conforme a prescrição do neurologista, sobretudo quando considerados os 34 anos de contribuição para o plano de saúde e a grave situação de moléstia, com consequências que agravam ainda mais o seu quadro, como a dieta enteral, aspiração frequente e imobilismo.

Por maioria, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que operadora de plano de saúde deve fornecer cobertura de internação domiciliar à paciente enferma e portadora de Mal de Parkinson, uma vez que este seria o único meio pelo qual a beneficiária de 81 anos conseguiria uma sobrevida saudável. Para o colegiado, diante das circunstâncias fáticas, é legítima a expectativa da recorrente de receber o tratamento conforme a prescrição do neurologista.

Beneficiária do plano de saúde desde 1984, a recorrente recebeu orientação médica para home care diante da piora do seu quadro de saúde, agravado pela doença de Parkinson, com a apresentação de gastrostomia, dieta enteral, aspiração pulmonar e imobilismo. A operadora negou o serviço, pois não haveria a respectiva cobertura no contrato.

A mulher ajuizou ação de obrigação de fazer contra a operadora que foi julgada procedente em primeiro grau. No entanto, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) reformou a sentença e considerou que a situação não se enquadraria na hipótese de home care, uma vez que não se trataria de transposição do tratamento hospitalar para o domicílio.

No recurso especial, a recorrente alegou que o contrato cobre internação hospitalar e, dessa forma, também deveria dispor de internação em home care. A beneficiária questionou, ainda, acórdão do TJSP o qual considerou que os cuidados necessários poderiam ser prestados por familiares ou cuidadores, solução que, para a recorrente, não tem qualquer elemento de prova.

Expectativa de tratamento através do Home Care

A relatora para o acórdão no STJ, ministra Nancy Andrighi, destacou que a prescrição médica solicitou o fornecimento de home care e somente no julgamento da apelação houve a interpretação de que a paciente precisaria de assistência domiciliar ao invés de internação domiciliar.

“O acórdão recorrido presumiu um estado clínico do qual apenas o médico neurologista poderia efetivamente afirmar. Pela leitura dos autos e considerando a posição do juízo de primeiro grau de jurisdição, que teve um contato mais próximo com as partes e as provas produzidas, percebe-se que a recorrente possui diversos problemas de saúde que recomendam, com lastro no laudo do seu neurologista, a internação domiciliar”, disse a relatora em seu voto.

Para ela, “postergar a internação domiciliar de pessoa idosa e sensivelmente enferma, sob o pretexto de a sua situação de saúde ser tratada suficientemente com cuidados familiares e cuidadores, importa restrição exagerada e iníqua que coloca o sujeito mais frágil da relação contratual em posição de completo desamparo”.

Em seu voto, a relatora considerou que, no caso concreto, há expectativa legítima da recorrente em receber o tratamento médico conforme a prescrição do neurologista, sobretudo quando considerados os 34 anos de contribuição para o plano de saúde e a grave situação de moléstia, com consequências que agravam ainda mais o seu quadro, como a dieta enteral, aspiração frequente e imobilismo.

A ministra Nancy Andrighi ainda ressaltou que afastar a obrigação de fazer da operadora de plano de saúde em fornecer a internação domiciliar da beneficiária idosa e enferma “sem apontar concretamente quais as circunstâncias fáticas juridicamente relevantes justificam a prescindibilidade da internação domiciliar, implica tornar inútil o plano de saúde contratado na expectativa de ser devidamente atendido no tratamento de sua saúde”.

Fonte: STJ 22/11/2018


Veja aqui mais artigos do Cliente Brasil


home careHugo Gaspar

Advogado no escritório João Alexandre de Vasconcellos Advogados Associados, especialista em Relações de Consumo e Direito bancário.

Colaborador do site: clientebrasil.com.br

hugogaspar@javadvogados.com

0 Comments
Share
reaproveitamento-de-materiais

Tendência no mundo da arquitetura e decoração, o reaproveitamento de materiais é uma das principais apostas dos arquitetos e urbanistas para compor os ambientes da Casa Cor ES 2018

O consumo consciente é hoje uma das maiores preocupações da sociedade contemporânea. A ideia passou a ser adotada por empresas de diversos segmentos e, atualmente, é um dos principais conceitos seguidos por arquitetos e urbanistas ao desenvolverem seus projetos. Na Casa Cor ES 2018, o reaproveitamento de materiais é uma das principais apostas dos profissionais responsáveis por assinar os ambientes, o que representa uma solução sustentável, ecofriendly e de baixo custo.

 reaproveitamento de materiaisNo Drink Bar, assinado pela arquiteta Caroline Zamboni, por exemplo, toda a parte metálica, como telhado e estrutura do espaço, foi construída com material reutilizado. Além isso, o totem de entrada do ambiente foi feito com o inverso da chapa de corte das cadeiras paramétricas para formar um painel. A técnica do reaproveitamento de materiais também foi utilizada pelo designer José Vicente Baião ao desenvolver as cadeiras mundo, localizadas na área mais viva do ambiente da arquiteta Caroline, próximo à cascata. Para produzi-las, o profissional usou metais de ferro velho.

reaproveitamento de materiaisA profissional também apostou no uso do container, que garante o reuso do material –geralmente descartado no meio ambiente – por diversas vezes, já que pode ser desmontado e transportado para outros terrenos. No projeto de Caroline, o container abriga a cozinha e já foi usado em outros eventos. “Para adequá-la à nossa proposta e conectá-la ao conceito do espaço, a estrutura foi personalizada pelo artista Raí Bolzan, com uma pintura especial que retrata o Convento da Penha”, explica.

A ideia do reaproveitamento também está presente na cozinha gourmet do “Refúgio do Tenista”, assinado pela arquiteta Cristiane Locatelli. Em um espaço cercado pela natureza, foi criado um grandioso balcão com ‘casqueiro’ do granito classico Ornamental Guidoni, material de aproveitamento do processo de beneficiamento dos blocos, que além da proposta sustentável resulta em peças rústicas e surpreendentes.

Sustentabilidade na construção civil

A onda verde também é tendência na construção civil e um projeto para ser considerado sustentável deve ter soluções conscientes desde a concepção, até a execução, ampliação, materiais, reforma e até mesmo na demolição. A construção verde além de amenizar os impactos à natureza, reduz os resíduos e utiliza com eficiência os materiais e bens naturais, como água e energia, gera menos manutenção e valoriza o imóvel. E é perfeitamente possível aliar sustentabilidade, estética, funcionalidade e design.

De acordo com o engenheiro civil da Guide Engenharia, Fabrício Depizzol, algumas soluções verdes para uma construção ser sustentável incluem captação e reaproveitamento de água de chuva e dos chuveiros, torneiras com arejador que podem economizar até 20% em relação às normais, descargas com fluxo duplo e painéis solares. “Alguns materiais que podem ser usados são madeira plástica, feita com plásticos recicláveis e resíduos vegetais, que seriam descartados; revestimento de bambu, que é sustentável e pode ser usado como revestimento; tinta mineral natural, bloco de adobe, tijolo prensado e energia solar fotovoltaico”, explica.

Fotos: Bruno Lira


 Thaís Tomazelli (RF Assessoria de Comunicação)

0 Comments
Share
sentenca-poema-para-picanha-falsa

Com uma sentença poema, sentenciou a juíza de Direito Patrícia Vialli Nicolini, da 1ª vara Cível da comarca de Cambuí/MG, ao negar indenização a um homem que alegou comprar uma “falsa picanha” no supermercado.

“Vou lhe contar um fato, que é de arrepiar! O homem foi ao supermercado, para picanha comprar. Iria de um churrasco participar. Comprou picanha fatiada, quis economizar! Na festa foi advertido, o tira-gosto estava duro, comentou após ter comido. Seu amigo atestou, não era picanha não! Bora reclamar, para não ficar na mão. A requerida recusou, não quis a carne trocar. Por tal desaforo, resolveu demandar. Queria danos morais, como forma de enricar e picanha verdadeira comprar.”

O consumidor pretendia receber pelos danos morais após ser enganado ao comprar a carne. Para a juíza, por outro lado, a situação não passou de mero aborrecimento, e o homem deveria ter buscado outras formas de solucionar o problema.

“Este fato tenho que decidir, com bom senso agir. Dar o desate à lide e o processo concluir. O pedido é improcedente. Se a carne não era de qualidade, era bem verdade. Mas para tanto não presta. A gerar danos morais, compelir indenização, pelo mau gosto da peça. Troque de fornecedor ou sem muita dor, compre a carne correta! Para encerrar esta demanda, nem indenização nem valor gasto. Finde-se o processo e volte-se com o boi ao pasto.”

Após julgar improcedente o pedido, a magistrada concluiu: “A todos censurar. E o presente feito encerrar. Publique-se, pois findo o julgamento. Registre-se para não cair no esquecimento. Intime-se para conhecimento.”

Picanha falsa

O consumidor alegou que comprou a peça de carne como se fosse picanha, só descobrindo que havia sido enganado de assar o produto. Ele tentou devolver a carne, mas não teve sucesso.

Por isso, registrou boletim de ocorrência e decidiu entrar na Justiça, pedindo que o estabelecimento comercial fosse condenado a indenizá-lo em R$ 15 mil por danos morais, já que se sentiu humilhado com o ocorrido.

Mas o pedido foi julgado improcedente.

“Nós entendemos que houve desproporcionalidade entre o valor gasto e o pedido de danos morais”, avaliou a juíza, ressaltando que, para requerer os direitos, o consumidor poderia ter procurado outros caminhos. “Ninguém pode se enriquecer às custas de uma situação que poderia ser resolvida com uma conversa ou com o Procon, por exemplo.”

A magistrada ressalta que o dano moral é aquele que atinge a personalidade, o íntimo do ser humano. “Trata-se de um direito garantido pela Constituição Federal e pelo Código Civil. Ele precisa causar um abalo psíquico e uma situação que vai além da rotina”, afirmou. No caso em tela, ela avaliou que o ocorrido havia gerado mero aborrecimento. “Nossa personalidade, nossa cidadania e nossa dignidade vão muito além de um desacordo comercial”, acrescentou.

Sentença-poema

A magistrada explicou que o objetivo das rimas na sentença poema era chamar a atenção sobre a decisão e, assim, levar um recado para a população sobre a banalização do dano moral. Para ela, o uso de poema diante de situações peculiares alerta as partes e os advogados para a importância de buscarem soluções que não necessariamente passem pelo Poder Judiciário.

Der acordo com a magistrada, recorrer a versos para sentenciar também é uma forma de ser mais leve, diante do atropelo do dia a dia. “O Judiciário é bastante assoberbado, com inúmeros processos e situações dramáticas de vida, de morte, de valores. Quando você se depara com uma situação como essa, é uma forma de descontrair.

Clique aqui e veja o poema na íntegra.

Fonte: migalhas.com.br


Sandro Rizzato

Advogado em Advocacia Rizzato

www.rizzato.adv.br

0 Comments
Share
tecnicas-de-persuasao

Em uma negociação de qualquer natureza, existe algumas técnicas de persuasão que poderão lhe ajudar a obter um resultado positivo.

Entre várias técnicas de persuasão existentes, selecionei 07 e estarei listando abaixo. Vale a pena aplica-las e certamente conseguirá bons resultados.

Mentalizar o cenário

Antes de sair de casa, antes de ir no lugar que vai negociar, você precisa visualisar a situação. Imagine-se conversando com esta pessoa, imagine todo o cenário, inclusive a conversa que terá com a outra pessoa. Analise tudo, as possiveis respostas que a pessoa lhe dará. Desta forma voce estará criando um caminho neural para a situação.

Atenção à sua postura

No momento que está indo em direção ao local do encontro, caminhe em passos firmes e largos, corpo ereto, cabeça erguida. Com isso você está preparando seu corpo para o momento da negociação.

Técnicas de persuasão no aperto de mão

Existe várias formas de dar um aperto de mão, conforme a situação esperada. Vou citar 3 delas:

1- Se você vai vender algo para alguém: Coloque sua mão do com o palma voltada para baixo. A mão da outra pessoa estará com a palma da mão voltada para cima, por baixo da sua.

 

 

2- Se vai num encontro de amigos: sua mão reta, de lado, perpendicular ao solo.

3- Se for conquistar uma pessoa (mulher): coloque sua mão com a palma voltada para cima. A mao da outra pessoa estará com a palma da mão voltada para baixo, em cima da sua.

4- Aperto de mão duplo: Este cumprimento tem um poder de fazer com que o cliente sinta-se ainda mais bem-vindo, reconhecido e valorizado.

Siga o ritmo da pessoa

Se a pessoa fala lentamente, siga seu ritmo. Se ela respira mais ofegante, faça da mesma forma, de forma discreta. Aos poucos você vai levando as pessoas ao seu nível, pouco a pouco.

técnicas de persuasãoOlhar entre as sobrancelhas

Ao conversar com a outra pessoa, olhe entre as sobrancelhas da outra pessoa. Fixe seu olhar neste ponto. Converse o tempo todo fixando neste ponto e quando for tirar os olhos, desvie-o na mesma altura, para esquerda ou para direita. Quando for voltar, fixe no mesmo ponto.

Faça uma pausa por 2 segundos

Quando estiver conversando, dê uma paradinha de uns 2 segundos e depois segue falando. Essa paradinha que você vai dar entre as frases vai fazer com que a outra pessoa não se canse da conversa e se mantenha atenta ao que vai dizer.

Termine a conversa sempre com 2 opções

Quando tiver negociando algo com alguém, sempre termine com 2 opções. Nunca termine com uma opção só. Desta forma você estará inconscientemente condicionando a outra pessoa a tomar uma decisão que de qualquer forma será positiva para você.

Exemplo:

  • Negociando com seu filho a escovar os dentes:

“Filho, voce quer escovar os dentes agora ou daqui a cinco minutos?” 

  • Marcando um encontro com alguem:

“Amiga, você quer sair na sexta ou no sábado?”

  • Vendendo algo para alguem:

“Voce prefere pagar a vista ou parcelado?”


Até a próxima !!

Influenciar PessoasHugo Rodrigues

Diretor Geral da WelcomeGroup

www.hugorodrigues.net.br

https://www.facebook.com/hugorodrigues.welcomegroup

Instagram.com/hugh_rodrigues

 

0 Comments
Share
dieta-ideal

Muita gente considera o peso como um tormento em suas vidas e procuram sempre uma dieta ideal. A maioria das pessoas querem, a todo momento perder uns quilinhos, principalmente as mulheres por causa da boa forma e aparência. Quando as roupas entram na somatória, complica um pouco mais, pois quanto maior a diferença de peso, mais roupas são consumidas para compensar as variações estéticas corporais.

dieta idealUma das perguntas que mais fazem é: “Qual é a dieta ideal a se fazer?” Apesar de eu não ser nutricionista, posso afirmar que a dieta ideal é sempre aquela que você consegue seguir, na qual você ajusta a seus hábitos do dia a dia, realizando uma mudança de qualidade de vida.

Tem que tomar cuidado com dietas que prometem resultados rápidos, geralmente feita sazonalmente. Essas dietas não fazem diferença a médio e longo prazo e o corpo entra no ciclo do efeito sanfona, fazendo voce consumir ainda mais roupas novas.

Ao longo de minha vida, muitas dietas surgiram e desapareceram. Alimentos que eram considerados bons, se tornaram vilões e vice versa. Como exemplo posso citar o ovo, que hoje é visto com bons olhos. Atualmente é preciso um acompanhamento com nutricionista para um melhor efeito e durabilidade em seu corpo.

dieta idealNa verdade, com o passar do tempo fui percebendo que a dieta ideal que cabe em sua vida é a que mais irá funcionar. Assumir uma dieta é questão de atitude. Tem que ser incorporada em sua mente, tem que fazer sentido em sua vida e ganhar comprometimento. É você sentir o resultado e ver a felicidade estampada em seu rosto.

Nenhuma dieta sozinha irá fazer milagre. Sua disposição em mudar seu comportamento e hábitos irá fazer diferença. Praticar exercícios prazerosos, regulares e deixar a preguiça de lado são fundamentais. Eu adoro dançar, me deixa super feliz e consigo manter meu corpo como eu desejo. Adoraria saber qual seu exercício favorito!

Nossa grande conclusão é: a dieta ideal é o comprometimento e disciplina. Olhe para essa pessoa linda no espelho e repita: eu quero, eu posso, eu faço!

Até a próxima!!


Janaina Gurgel

Consultora de Imagem e Marketing Pessoal

www.janainagurgel.com.br

 

 

0 Comments
Share
ocitocina-o-hormonio-do-amor

Você já ouviu falar no hormônio chamado Ocitocina? Ele ficou conhecido como “o hormônio do amor”. Mas até então ele só era conhecido nas suas funções no trabalho de parto.

Nesse vídeo, você vai aprender outras funções da ocitocina. Ele é uma grande novidade no tratamento do autismo e também no prazer sexual, principalmente o feminino.


Veja mais artigos interessantes já escritos neste site e curta nossa página no facebook. Temos também alguns vídeos sobre diversos outros assuntos no youtube.

ocitocinaDra Keila Motta

Médica pós graduada em Endocrinologia, Medicina Ortomolecular e Ciência da Longevidade Humana.

Victoria Medicina e Diagnóstico
Rua Carlos Martins, 586
Jardim Camburi / Vitória
(27) 3061-4791/ 3061-4797  //  (27) 99619-9884

Acompanhe em nossas mídias sociais:

 

 

0 Comments
Share